ÚLTIMO ESTUDO | 11 de outubro de 2021

INFORMAÇÃO E UM ALERTA AOS 1,3 MILHÕES DE BENEFICIÁRIOS DA ADSE PARA NÃO SE DEIXAREM ENGANAR

Após a entrada em vigor em 1/9/ 2021 das novas tabelas do Regime convencionado da ADSE tenho recebido queixas de beneficiários que têm sido confrontados em alguns prestadores que têm convenções com a ADSE com informações incorretas e mesmo obrigados a pagar preços muito superiores aos que constam das novas tabelas do Regime convencionado da ADSE que entraram em vigor em 1/9/2021. Como membro do conselho diretivo da ADSE em representação dos beneficiários divulgo este esclarecimento que é importante para se orientarem e evitarem que sejam enganados. Peço que o divulguem aos beneficiários da ADSE, que são já 1,3 milhões
Administração Pública, Saúde SNS
4 dias atrás

                                           UM ALERTA AOS BENEFICIÁRIOS DA ADSE
Tem-se verificado por parte de alguns prestadores da ADSE,  um comportamento que é  inaceitável em relação ao qual, como representante dos beneficiários no conselho diretivo da ADSE, quero alertá-los para não se deixarem enganar.

(1) As chamada “Tabela de Preços especial -ADSE, IASFA, GNR, PSP” do grupo CUF ou “Tabela Especial de preços – ADSE, IASFA , SAD GNR e SAD PSP “ do grupo LUZ, enviadas a muito beneficiários utilizando muitas vezes os seus dados pessoais sem a sua autorização (se isso aconteceu devem-se queixar a CNPD)   não tem nada a ver com as tabelas do Regime Convencionado da ADSE apesar de abusivamente utilizarem o nome da ADSE. São tabelas de preços dos grupos CUF e LUZ com preços muito mais elevados do que os preços da ADSE. Por ex. uma consulta nessas tabelas especiais custa ao beneficiário da ADSE, pelo menos, entre 35€ e 40€, enquanto pelo Regime convencionado da ADSE paga apenas 5€. E mesmo que depois seja reembolsado no Regime livre em 20,45€, acaba por ter de suportar 3 a  4 vezes mais do que pagaria pelo Regime Convencionado da ADSE. Em outros atos, por ex., nas cirurgias a diferença é enorme e incomportável para a maioria dos beneficiários .  

(2) Quando fizer qualquer marcação (consulta, cirurgia, etc.) num prestador nunca se esqueça de dizer que quer fazer no âmbito do Regime convencionado da ADSE. Pergunte mesmo se é no Regime convencionado e confirme, pois vários prestadores, em particular a CUF (esteja muito atento neste prestador pois é dele que temos recebido mais queixas), se não disser nada a marcação é muitas vezes feita naquelas tabelas, e poderá ter a surpresa, quando for pagar, de ter de pagar uma fatura enorme. Mesmo que o prestador lhe diga que o médico saiu da convenção (neste caso não se esqueça de perguntar se  não existe outro médico da mesma especialidade na convenção) , ou que saíram todos os médicos daquela especialidade da convenção, ou que a ADSE eliminou esse ato da convenção, ou que a ADSE acabou com a convenção,  NÃO ACREDITE, porque muitas vezes isso não é verdade. Entre em contacto com a ADSE através:  ADSE - direta ( ( https://www.adse.pt/ar/ ) e exponha o seu caso. No caso de concluir que foi enganado comunique a ADSE da mesma forma e queixe-se também a Entidade Reguladora da Saúde (ERS) no link:  https://www.ers.pt/pt/utentes/reclamacoes/   

(3) Uma outra opção, é procurar outro prestador, porque a ADSE tem convenções com mais de 1300 prestadores e se procurar vai sempre encontrar outro médico igual ou mesmo melhor no seu concelho.  Para fazer  a pesquisa de prestadores por concelho e por tipo de ato aceda ao portal da ADSE através do link:  www.adse.pt/pesqmed/  . 

Eugénio Rosa – membro do conselho diretivo da ADSE eleito pelos representantes dos beneficiários,  O meu e-mail que poderá utilizar para me informar : Eugenio.Rosa@adse.pt 

Lisboa, 9-10-2021

Outros estudos recentes
Registe-se para receber os estudos gratuitamente por e-mail sempre que sejam publicados.
UM PEDIDO A TODOS OS LEITORES
De acordo com a nova lei de protecção de dados que entrou em vigor no final de Maio de 2018, só se poderá utilizar o endereço de e-mail, neste caso para enviar os meus estudos, se obtiver da parte do proprietário do endereço electrónico o seu consentimento expresso. Por isso, peço a todos os leitores que estejam interessados em receber gratuitamente os meus estudos que se se registem neste site dando o seu consentimento para utilizar o seu e-mail se tiverem interessados em receber semanalmente os estudos que faço. Se já está a receber os estudos indique esse facto na sua mensagem. Informo também que o seu e-mail será retirado/apagado logo que o desejar no futuro, bastando que o comunique.
INFORMAÇÃO
Este site foi atacado já por duas vezes pois divulga estudos feitos com objetividade analisando os problemas económicos e sociais do nosso país utilizando dados oficiais. Com o objetivo de garantir a sua proteção tivemos de o instalar de outra forma e em condições diferentes. No entanto ele vai, gradualmente, tomar a forma que tinha com todos os estudos que estavam disponíveis, porque não é possivel fazer imediatamente.
PEDIMOS A VOSSA AJUDA PARA QUE ESTES ESTUDOS CHEGUEM A MAIS LEITORES E TAMBÉM PARA COMBATER A TENTATIVA DE NOS SILENCIAR. Há muita gente que não gosta dos nossos estudos. Mas vamos resistir e continuar.
Obrigado pela ajuda que puderem dar neste combate pela verdade e pelos que menos têm, divulgando estes estudos.

APRESENTAÇÃO SINTÉTICA E OBJECTIVOS DESTE "SITE"

A maior parte da informação divulgada sobre a economia e a sociedade portuguesa nos media é dominada pelo pensamento neoliberal, porque é este que tem acesso privilegiado aos media. Este domínio é tão grande que atinge os próprios meios académicos podendo-se falar, com propriedade, de um pensamento económico único dominante. Quem esteja familiarizado com a ciência económica, sabe bem que a economia não está acima dos interesses de classe que se confrontam na sociedade, e o neoliberalismo defende os interesses do poder económico dominante nas sociedades capitalistas actuais.

Nos estudos disponíveis neste “site” procura-se analisar os problemas económicos e sociais numa perspectiva diferente, que é a dos interesses dos trabalhadores. No entanto, não existe qualquer pretensão de substituir um pensamento único por outro, mas apenas o propósito de fornecer ao leitor uma outra forma de analisar os problemas económicos e sociais, para que ele, confrontando-a com a do pensamento neoliberal dominante nos media,  forme a sua própria opinião, que é o mais importante.

A verdade só poderá surgir do confronto democrático de ideias e nunca da imposição de um pensamento único como se pretende actualmente.
Para facilitar a pesquisa do leitor agrupamos os estudos em duas grandes Áreas, e dentro destas por Temas, e dentro dos Temas estão os estudos por datas  (data da sua elaboração), pois os estudos são datados (se é associado do Montepio no fim dos Temas encontra ainda informações atualizadas sobre a situação no Montepio).

Encontre mais publicações disponíveis nas seguintes áreas