Salários / Produtividade
ENTRE 2014 E 2021 AS REMUNERAÇÕES MÉDIAS BRUTAS DOS TRABALHADORES DO ESTADO AUMENTRAM EM MÉDIA EM PORTUGAL APENAS 72€ (+4,7%) ENQUANTO NA UNIÃO EUROPEIA A SUBIDA FOI DE 536€ (+21.3%) E NOS CHAMADOS PAISES “FRUGAIS”, NA ALEMANHA +1104€ (+30,2%) E NA HOLANDA +508€ (+21%), E AINDA CRITICAM PORTUGAL EXIGINDO MAIS CONTENÇÃO NA DESPESA PUBLICA
24 de julho de 2022
ENTRE 2014 E 2021 AS REMUNERAÇÕES MÉDIAS BRUTAS DOS TRABALHADORES DO ESTADO AUMENTRAM EM MÉDIA EM PORTUGAL APENAS 72€ (+4,7%) ENQUANTO NA UNIÃO EUROPEIA A SUBIDA FOI DE 536€ (+21.3%) E NOS CHAMADOS PAISES “FRUGAIS”, NA ALEMANHA +1104€ (+30,2%) E NA HOLANDA +508€ (+21%), E AINDA CRITICAM PORTUGAL EXIGINDO MAIS CONTENÇÃO NA DESPESA PUBLICA
24 de julho de 2022
O PODER DE COMPRA DOS TRABALHADORES DA FUNÇÃO PUBLICA E DO SETOR PRIVADO DIMINUIU ENTRE 2011 E 2022, AS “VALORIZAÇÕES REMUNERATÓRIAS” PROPOSTAS PELO GOVERNO AOS SINDICATOS FUNÇÃO PUBLICA SÃO RIDICULAS, E VÃO CONTINUAR OS OBSTACULOS À CONTRATAÇÃO DE TRABALHADORES COM AS QUALIFICAÇÕES QUE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PRECISA
3 de julho de 2022
O PODER DE COMPRA DOS TRABALHADORES DA FUNÇÃO PUBLICA E DO SETOR PRIVADO DIMINUIU ENTRE 2011 E 2022, AS “VALORIZAÇÕES REMUNERATÓRIAS” PROPOSTAS PELO GOVERNO AOS SINDICATOS FUNÇÃO PUBLICA SÃO RIDICULAS, E VÃO CONTINUAR OS OBSTACULOS À CONTRATAÇÃO DE TRABALHADORES COM AS QUALIFICAÇÕES QUE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PRECISA
3 de julho de 2022
A EXPULSÃO DO MERCADO DE TRABALHO DE 1,2 MILHÕES TRABALHADORES COM O ENSINO BÁSICO, A SUA SUBSTITUIÇÃO POR TRABALHADORES COM O ENSINO SECUNDÁRIO E SUPERIOR, MAS MANTENDO OS BAIXOS SALÁRIOS, E OS EFEITOS DRAMÁTICOS DAS SANÇÕES PARA AS CLASSES MÉDIAS DE BAIXOS RENDIMENTOS E PARA OS POBRES
26 de junho de 2022
A EXPULSÃO DO MERCADO DE TRABALHO DE 1,2 MILHÕES TRABALHADORES COM O ENSINO BÁSICO, A SUA SUBSTITUIÇÃO POR TRABALHADORES COM O ENSINO SECUNDÁRIO E SUPERIOR, MAS MANTENDO-SE OS BAIXOS SALÁRIOS, E OS EFEITOS DRAMÁTICOS DAS SANÇÕES PARA AS CLASSES MÉDIAS DE BAIXOS RENDIMENTOS E PARA OS POBRES
26 de junho de 2022
OS DADOS DE FERNANDO MEDINA SOBRE AS REMUNERAÇÕES DOS TRABALHADORES DO ESTADO CONTINUAM A NÃO BATER CERTO, O DISPARAR DAS AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS A PRIVADOS (o reforço no OE-2022 para aquisições de serviços é 4,2 vezes superior ao reforço para despesas de pessoal), O FINANCIAMENTO DE PRESCRIÇÕES DO SNS PELA ADSE, A ESTAFADA TEORIA DE COSTA PARA RECUSAR A SUBIDA DE SALÁRIOS, E UM PROCESSO KAFKIANO CONTRA MIM
1 de maio de 2022
QUEM GANHA COM A GUERRA E COM A ESPECULAÇÃO: mesmo que na próxima semana o preço da gasolina seja reduzido 0,13€/litro e o do gasóleo em 0,17€/litro, os portugueses pagarão mais 1986 milhões € de que com os preços que vigoravam em jan.2022, revertendo, deste valor a mais, 985,6 milhões € para as empresas e 996,1 milhões € para o Estado
19 de março de 2022
“A AGENDA DE TRABALHO DIGNO” DO GOVERNO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: aumento dos contratos a prazo, a continuação da redução do poder de compra em 2021 e em 2022, e uma Administração Pública que não é atrativa para os mais qualificados, que fomenta a promiscuidade público-privada, e que não estimula nem investe nos seus trabalhadores
19 de fevereiro de 2022
PENSIONISTAS, TRABALHADORES DA FUNÇÃO PÚBLICA, DA CGD E DO SETOR PRIVADO VÃO SOFRER UMA IMPORTANTE REDUÇÃO DO PODER DE COMPRA EM 2022, UM “BURACO “NA SEGURANÇA SOCIAL DE 624 MILHÕES € EM 2021 PORQUE O GOVERNO UTILIZOU OS DESCONTOS DOS TRABALHADORES PARA PAGAR DESPESAS DO COVID, E O PS PRETENDE MANTER O INCENTIVO FISCAL À ESPECULAÇÃO BOLSISTA , O QUE É UM SINAL DO RUMO QUE PRETENDE SEGUIR NO FUTURO
6 de fevereiro de 2022
O SALÁRIO HORA DOS TRABALHADORES COM CONTRATOS A PRAZO E A TEMPO PARCIAL EM PORTUGAL É MUITO INFERIOR AOS QUE TEM CONTRATO SEM TERMO O QUE DETERMINA UM LUCRO EXTRAORDINÁRIO PARA OS PATRÕES ESTIMADO EM 4517 MILHÕES€ POR ANO
18 de dezembro de 2021
HÁ MARGEM PARA UM AUMENTO GERAL DE 6% DOS SALARIOS EM PORTUGAL NO ANO DE 2022 SEM CAUSAR DESIQUILIBRIOS ECONÓMICOS SEGUNDO DADOS DO PRÓPRIO EUROSTAT, E UM APELO E INFORMAÇÃO AOS ASSOCIADOS DO MONTEPIO
3 de dezembro de 2021
HÁ MARGEM PARA UM AUMENTO GERAL DE 6% DOS SALARIOS EM PORTUGAL NO ANO DE 2022 SEM CAUSAR DESIQUILIBRIOS ECONÓMICOS SEGUNDO DADOS DO PRÓPRIO EUROSTAT, E UM APELO E INFORMAÇÃO AOS ASSOCIADOS DO MONTEPIO
3 de dezembro de 2021
AS REMUNERAÇÕES DOS TRABALHADORES REFLETEM CADA VEZ MENOS OS SEUS NIVEIS DE ESCOLARIDADE E DE QUALIFICAÇÃO O QUE TEM CONSEQUENCIAS GRAVES PARA OS TRABALHADORES E PARA O NOSSO PAÍS
27 de novembro de 2021
O PODER DE COMPRA DA REMUNERAÇÃO MÉDIA LÍQUIDA DOS TRABALHADORES DA ADMINISTRAÇÃO PUBLICA EM 2021 É AINDA INFERIOR EM 10,3% AO DE 2010, E HÁ PROFISSÕES ONDE A QUEDA É AINDA MAIOR. O NÚMERO DE TRALHADORES DA FUNÇÃO PÚBLICA EM 2021 É AINDA INFERIOR AO DE 2011
19 de novembro de 2021
A DISTORÇÃO DE SALÁRIOS EM PORTUGAL É CAUSA DO FUGA DOS TRABALHADORES MAIS QUALIFICADOS PARA O ESTRANGEIRO, ESTÁ A DESTRUIR A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E É UM OBSTÁCULO AO CRESCIMENTO E AO DESENVOLVIMENTO DO PAÍS
7 de novembro de 2021
DISTORÇÃO GRAVE NOS DIPLOMADOS DO ENSINO SUPERIOR EM PORTUGAL: áreas de estudo vitais para futuro do país continuam a ser subestimadas porque exigem maior investimento, e a escassez de competências chaves agravou-se em áreas fundamentais para o crescimento económico e o desenvolvimento do país
24 de julho de 2021
AS DECLARAÇÕES DE ANTÓNIO COSTA SOBRE O TRABALHO PRECÁRIO E A REALIDADE DA PRECARIEDADE NO SETOR PRIVADO E NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM PORTUGAL
5 de junho de 2021
OS GANHOS MÉDIOS MENSAIS DOS TRABALHADORES DA ADMINISTRAÇÃO PUBLICA SÃO, PARA OS MESMOS NIVEIS DE ESCOLARIDADE/QUALIFICAÇÃO, INFERIORES AOS DOS TRABALHADORES DO SETOR PRIVADO
29 de maio de 2021
O MODELO DE “DESENVOLVIMENTO” DE PORTUGAL CONTINUA A BASEAR-SE EM BAIXOS SALÁRIOS E EM PRODUTOS DE MÉDIA-BAIXA E DE BAIXA TECNOLOGIA O QUE TORNA A ECONOMIA FRÁGIL, DEPENDENTE E MUITO VULNERÁVEL A CRISES EXTERNAS
10 de abril de 2021
DESIGUALDADE CRESCENTE NA REPARTIÇÃO DA RIQUEZA CRIADA ANUALMENTE NO PAÍS (PIB) ENTRE O TRABALHO E OS DONOS DO CAPITAL E GRANDES DESIGUALDADES SALARIAIS IMPOSTAS PELAS EMPRESAS QUE AGRAVAM A REPARTIÇÃO DA RIQUEZA
28 de março de 2021
8 DE MARÇO, DIA INTERNACIONAL DA MULHER: alguns dados e reflexões sobre a situação da mulher em Portugal
6 de março de 2021
O NÚMERO DE MÉDICOS DIMINUI NO SNS EM 800 EM PLENA PANDEMIA, A PRECARIEDADE DISPAROU NOVAMENTE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, E APESAR DOS AUMENTOS DE REMUNERAÇÕES DEVIDO AO “SIADAP”, O PODER DE COMPRA DAS REMUNERAÇÕES BASE LIQUIDAS AINDA CONTINUA INFERIOR AO DE 2010 EM 10%
20 de fevereiro de 2021
O NÚMERO DE MÉDICOS DIMINUI NO SNS EM 800 DURANTE A PANDEMIA, A PRECARIEDADE DISPAROU NOVAMENTE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM 2020, E APESAR DOS AUMENTOS DE REMUNERAÇÕES DEVIDO AO “SIADAP”, O PODER DE COMPRA ATUAL DAS REMUNERAÇÕES LÍQUIDAS AINDA CONTINUA INFERIOR AO DE 2010 EM 10%
20 de fevereiro de 2021
BAIXOS SALARIOS, RIQUEZA CRIADA INSUFICIENTE E A CAIR, UM ESTADO CADA VEZ MAIS ENDIVIDADO: o retrato de um país a caminho do abismo que é necessário também não esquecer nas decisões políticas
9 de janeiro de 2021
OS BAIXOS SALÁRIOS ASSOCIADOS ÀS ENORMES DESIGUALDADES SALARIAIS TORNAM AS CONSEQUÊNCIAS DA CRISE ECONÓMICA E SOCIAL AINDA MAIS GRAVES EM PORTUGAL
5 de dezembro de 2020
O IMPACTO DO AUMENTO DE 35€ DO SALARIO MININO NACIONAL EM 2021 NAS EMPRESAS DO SETOR PRIVADO
4 de outubro de 2020
A REDUÇÃO DO NÚMERO DE TRABALHADORES E DA DESPESA COM PESSOAL NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E A CONSEQUENTE DEGRADAÇÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS PRESTADOS À POPULAÇÃO
19 de setembro de 2020
A QUEBRA SIGNIFICATIVA DO EMPREGO E DA RIQUEZA CRIADA NO PAÍS (PIB), A DESORGANIZAÇÃO DA ATIVIDADE PRODUTIVA CAUSADA PELO TELETRABALHO E PELO “LAY-OFF”, A DIMINUIÇÃO DA PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E AS ESTATISTICAS OFICIAIS DO DESEMPREGO QUE ENGANAM
14 de agosto de 2020
OS TRABALHADORES ESTÃO A PERDER O EMPREGO, DIREITOS E RENDIMENTOS E A CRISE ECONÓMICA E SOCIAL ESTÁ-SE A AGRAVAR
19 de julho de 2020
A EVOLUÇÃO DO PODER DE COMPRA DOS TRABALHADORES DO SETOR PRIVADO, A DIMINUIÇÃO DA PRODUTIVIDADE DEVIDO AO INVESTIMENTO PRIVADO E PÚBLICO SER INSUFICIENTE, E O AGRAVAMENTO DAS DESIGUALDADES NA DISTRIBUIÇÃO DA RIQUEZA PRODUZIDA NO PAÍS
9 de setembro de 2019
SALARIOS REAIS CAIEM EM PORTUGAL ENTRE 2015 E 2018 SEGUNDO O MINISTÉRIO DO TRABALHO
4 de maio de 2019
A SUBUTILIZAÇÃO DO TRABALHO EM PORTUGAL, OS BAIXOS SALÁRIOS E AS BAIXISSIMAS PENSÕES, E A REDUZIDA COBERTURA DO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO
3 de março de 2019

Encontre mais publicações disponíveis nas seguintes áreas