Desigualdades Sociais
A POBREZA E AS DESIGUALDADES CONTINUAM A CRESCER EM PORTUGAL: em 2020 o número de pobres aumentou para 1.894.663, os trabalhadores com emprego na pobreza eram já 539.179 e, entre 2020 e 2021, a taxa de risco de pobreza ou exclusão social subiu de 20% para 22,4%, e as desigualdades aumentaram ainda mais
6 de janeiro de 2022
O SALÁRIO HORA DOS TRABALHADORES COM CONTRATOS A PRAZO E A TEMPO PARCIAL EM PORTUGAL É MUITO INFERIOR AOS QUE TEM CONTRATO SEM TERMO O QUE DETERMINA UM LUCRO EXTRAORDINÁRIO PARA OS PATRÕES ESTIMADO EM 4517 MILHÕES€ POR ANO
18 de dezembro de 2021
AS PENSÕES DOS TRABALHADORES QUE SE REFORMARAM OU APOSENTARAM EM 2020 TÊM DE SER RECALCULADAS (aumentadas) PORQUE SÃO INFERIORES ÀS QUE ELES TÊM DIREITO E OS RETROATIVOS PAGOS
3 de agosto de 2020
OS TRABALHADORES DA FUNÇÃO PUBLICA ABRANGIDOS PELO “PREVPAP” COM A SUA SITUAÇÃO REGULARIZADA E AQUELES QUE CONSTITUAM UM NOVO VÍNCULO DA CONTRATO PÚBLICO MESMO QUE O NÃO TENHAM FEITO EM CONTRATO ANTERIOR JÁ SE PODEM INSCREVER NA ADSE
9 de julho de 2020
O MEDO QUE SE INSTALOU NA SOCIEDADE PORTUGUESA ESTÁ A CAUSAR MAIS MORTES QUE O “COVID 19” DEVIDO À FALTA DE ASSISTENCIA MÉDICA AO QUE NÃO SEJA “CORONAVIRUS”, A RIQUEZA QUE NÃO É PRODUZIDA, A PERDA DE REMUNERAÇÕES PELOS TRABALHADORES, OS ENCARGOS DO ESTADO E DAS EMPRESAS, E A PERDA DA RECEITA PELA SEGURANÇA SOCIAL E FISCAL PELO ESTADO
24 de abril de 2020
SÓ NUM MÊS DE CRISE 163.000 TRABALHADORES PERDERAM O EMPREGO, OS 950.000 QUE JÁ ESTÃO EM “LAY-OFF” PERDEM 329,6 MILHÕES € DE REMUNERAÇÕES POR MÊS. POR CADA MÊS DE PARALISAÇÃO DA ECONOMIA O PAÍS PERDE 6,5% DO PIB (13.800 milhões€) SEGUNDO CENTENO
18 de abril de 2020
O IMPACTO DA RECESSÃO OU MESMO DA DEPRESSÃO PROLONGADA DA ECONOMIA, CAUSADA PELO “CORONAVIRUS” QUE A PARALIZOU, VAI SER DESIGUAL A NIVEL DO PAÍS, DEVIDO ÀS PROFUNDAS ASSIMETRIAS REGIONAIS EXISTENTES, E TAMBÉM PARA OS PORTUGUESES DEVIDO ÀS DESIGUALDADES SOCIAIS QUE SE AGRAVARAM APÓS A CRISE DE 2008
5 de abril de 2020

Encontre mais publicações disponíveis nas seguintes áreas