ÚLTIMO ESTUDO | 16 de janeiro de 2022

O PS E O PSD SACRIFICAM O CRESCIMENTO ECONÓMICO E A MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE VIDA DOS PORTUGUESES À REDUÇÃO SIGNIFICATIVA DA DIVIDA PUBLICA NUM CURTO PERÍODO DE TEMPO: seriam necessários 84 anos para que o PIB real por habitante de Portugal fosse igual, em euros, ao da U.E.

Neste estudo analiso alguns dos aspetos mais importantes - redução da divida pública, crescimento económico, aumento de salários, impostos, SNS - dos programas eleitorais dos dois maiores partidos que aspiram obter a maioria dos votos dos portugueses - PS e PSD - mas contextualizando com a situação atual do país e os problemas que enfrenta, para que os leitores possam formar a sua própria opinião se as propostas contidas nessas programas respondem às necessidades do país e aos seus próprios anseios. Como é evidente num estudo desta natureza, e para o não tornar demasiadamente extenso, tive de reduzir o numero de matérias tratadas
Administração Pública, Crescimento Económico, Defices, Crise, Impostos, Saúde SNS
3 dias atrás

A QUEBRA DRAMÁTICA DA PARTICIPAÇÃO DOS ASSOCIADOS DO MONTEPIO NAS ELEIÇÕES DA ASSOCIAÇÃO MUTUALISTA MONTEPIO GERAL EM NÚMEROS 

 Apesar do grupo Montepio enfrentar certamente a crise mais grave da sua já longa história centenária, e apesar dos associados terem aplicado na Associação Mutualista cerca de 3200 milhões € de poupanças, e destas estarem na sua esmagadora maioria aplicada em empresas que têm acumulados  prejuízos devido a uma gestão ruinosa, o que obrigou a Associação Mutualista a ter de registar já nas suas contas 1.039 milhões € de imparidades, reduzindo as garantias que asseguram aos associados os reembolsos das suas poupanças, a esmagadora maioria dos cerca 500.000e associados com direito a voto não se deram ao trabalho de votar.

Embora este comportamento possa ser em parte explicado pela marginalização a que têm sido sujeitos os associados em relação à atividade e às decisões das Associação Mutualista e também consequência de uma gestão nos últimos anos que destruiu enorme valor e que afetou profundamente a reputação e a confiança que os associados e a própria sociedade tinha no Montepio como uma entidade segura para as suas poupanças, mesmo assim esta dimensão da abstenção é dramática já que ela revela que os associados não dão importância à fiscalização da forma como são geridas e utilizadas as suas poupanças. E não podem dizer  mais tarde  que não foram alertados atempadamente para a situação difícil da Associação Mutualista Montepio Geral e das suas poupanças, e que não sabiam. 

Quadro 1 - Resultados das eleições para os triénios 2016/2018 e 2022/2024 em que a LISTA C também apresentou candidatos para o conselho de administração da Associação Mutualista (só foram para estes triénios)

 

Quadro 2 - Resultados das eleições para os triénios 2013/2015 e 2016/2018 para o Conselho Geral da Associação Mutualista Montepio Geral

 

Quadro 3 - Resultados das eleições para os triénios 2019/2021 e 2022/2024 para o Conselho Geral e para a Assembleia de Representantes, que substituiu o Conselho Geral, da Associação Mutualista Montepio Geral


Outros estudos recentes
16 jan
2022
O PS E O PSD SACRIFICAM O CRESCIMENTO ECONÓMICO E A MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE VIDA DOS PORTUGUESES À REDUÇÃO SIGNIFICATIVA DA DIVIDA PUBLICA NUM CURTO PERÍODO DE TEMPO: seriam necessários 84 anos para que o PIB real por habitante de Portugal fosse igual, em euros, ao da U.E.
6 jan
2022
A POBREZA E AS DESIGUALDADES CONTINUAM A CRESCER EM PORTUGAL: em 2020 o número de pobres aumentou para 1.894.663, os trabalhadores com emprego na pobreza eram já 539.179 e, entre 2020 e 2021, a taxa de risco de pobreza ou exclusão social subiu de 20% para 22,4%, e as desigualdades aumentaram ainda mais
27 dez
2021
OS GOVERNOS DE COSTA CORTARAM MAIS NO INVESTIMENTO PÚBLICO DO QUE OS GOVERNOS DO PSD/CDS/TROIKA, APESAR DESTES TEREM FEITO JÁ GRANDES CORTES. A UTILIZAÇÃO DO SNS PARA REDUZIR O DÉFICE E DOS DESCONTOS PARA A SEGURANÇA SOCIAL PARA PAGAR DESPESAS DO COVID E REDUZIR A DIVIDA. A ENORME DIVIDA À SEGURANÇA SOCIAL QUE O GOVERNO NÃO COBRA
27 dez
2021
OS GOVERNOS DE COSTA CORTARAM MAIS NO INVESTIMENTO PÚBLICO DO QUE OS GOVERNOS DO PSD/CDS/TROIKA. A UTILIZAÇÃO DO SNS PARA REDUZIR O DÉFICE E DOS DESCONTOS PARA A SEGURANÇA SOCIAL PARA PAGAR DESPESAS DO COVID E REDUZIR A DIVIDA. A ENORME DIVIDA QUE O GOVERNO NÃO COBRA.
27 dez
2021
OS GOVERNOS DE COSTA CORTARAM MAIS NO INVESTIMENTO PÚBLICO DO QUE OS GOVERNOS DO PSD/CDS/TROIKA. A UTILIZAÇÃO DO SNS PARA REDUZIR O DÉFICE E DOS DESCONTOS PARA A SEGURANÇA SOCIAL PARA PAGAR DESPESAS DO COVID E REDUZIR A DIVIDA. A ENORME DIVIDA QUE O GOVERNO NÃO COBRA.
Registe-se para receber os estudos gratuitamente por e-mail sempre que sejam publicados.
UM PEDIDO A TODOS OS LEITORES
De acordo com a nova lei de protecção de dados que entrou em vigor no final de Maio de 2018, só se poderá utilizar o endereço de e-mail, neste caso para enviar os meus estudos, se obtiver da parte do proprietário do endereço electrónico o seu consentimento expresso. Por isso, peço a todos os leitores que estejam interessados em receber gratuitamente os meus estudos que se se registem neste site dando o seu consentimento para utilizar o seu e-mail se tiverem interessados em receber semanalmente os estudos que faço. Se já está a receber os estudos indique esse facto na sua mensagem. Informo também que o seu e-mail será retirado/apagado logo que o desejar no futuro, bastando que o comunique.
INFORMAÇÃO
Este site foi atacado já por duas vezes pois divulga estudos feitos com objetividade analisando os problemas económicos e sociais do nosso país utilizando dados oficiais. Com o objetivo de garantir a sua proteção tivemos de o instalar de outra forma e em condições diferentes. No entanto ele vai, gradualmente, tomar a forma que tinha com todos os estudos que estavam disponíveis, porque não é possivel fazer imediatamente.
PEDIMOS A VOSSA AJUDA PARA QUE ESTES ESTUDOS CHEGUEM A MAIS LEITORES E TAMBÉM PARA COMBATER A TENTATIVA DE NOS SILENCIAR. Há muita gente que não gosta dos nossos estudos. Mas vamos resistir e continuar.
Obrigado pela ajuda que puderem dar neste combate pela verdade e pelos que menos têm, divulgando estes estudos.

APRESENTAÇÃO SINTÉTICA E OBJECTIVOS DESTE "SITE"

A maior parte da informação divulgada sobre a economia e a sociedade portuguesa nos media é dominada pelo pensamento neoliberal, porque é este que tem acesso privilegiado aos media. Este domínio é tão grande que atinge os próprios meios académicos podendo-se falar, com propriedade, de um pensamento económico único dominante. Quem esteja familiarizado com a ciência económica, sabe bem que a economia não está acima dos interesses de classe que se confrontam na sociedade, e o neoliberalismo defende os interesses do poder económico dominante nas sociedades capitalistas actuais.

Nos estudos disponíveis neste “site” procura-se analisar os problemas económicos e sociais numa perspectiva diferente, que é a dos interesses dos trabalhadores. No entanto, não existe qualquer pretensão de substituir um pensamento único por outro, mas apenas o propósito de fornecer ao leitor uma outra forma de analisar os problemas económicos e sociais, para que ele, confrontando-a com a do pensamento neoliberal dominante nos media,  forme a sua própria opinião, que é o mais importante.

A verdade só poderá surgir do confronto democrático de ideias e nunca da imposição de um pensamento único como se pretende actualmente.
Para facilitar a pesquisa do leitor agrupamos os estudos em duas grandes Áreas, e dentro destas por Temas, e dentro dos Temas estão os estudos por datas  (data da sua elaboração), pois os estudos são datados (se é associado do Montepio no fim dos Temas encontra ainda informações atualizadas sobre a situação no Montepio).

Encontre mais publicações disponíveis nas seguintes áreas