ÚLTIMO ESTUDO | 27 de novembro de 2021

AS REMUNERAÇÕES DOS TRABALHADORES REFLETEM CADA VEZ MENOS OS SEUS NIVEIS DE ESCOLARIDADE E DE QUALIFICAÇÃO O QUE TEM CONSEQUENCIAS GRAVES PARA OS TRABALHADORES E PARA O NOSSO PAÍS

Neste estudo, utilizando dados oficiais, mostro que as diferenças de rendimentos entre trabalhadores com diferentes níveis de escolaridade e, consequentemente, de qualificação têm diminuído, deixando assim as remunerações de refletir as diferenças de conhecimentos e competências, o que tem consequências graves para os trabalhadores e país, pois, para os primeiros determina condições de vida difíceis e não incentiva o aumento de escolaridade e de qualificação e, em segundo, constitui mais um obstáculo ao crescimento económico e ao desenvolvimento do país, já que dificulta a contratação de trabalhadores com qualificações e competências elevadas.
Crescimento Económico, Defices, Crise, Injustiça Repartição Rendimento, Salários / Produtividade
2 dias atrás

                                           UM ALERTA AOS BENEFICIÁRIOS DA ADSE
Tem-se verificado por parte de alguns prestadores da ADSE,  um comportamento que é  inaceitável em relação ao qual, como representante dos beneficiários no conselho diretivo da ADSE, quero alertá-los para não se deixarem enganar.

(1) As chamada “Tabela de Preços especial -ADSE, IASFA, GNR, PSP” do grupo CUF ou “Tabela Especial de preços – ADSE, IASFA , SAD GNR e SAD PSP “ do grupo LUZ, enviadas a muito beneficiários utilizando muitas vezes os seus dados pessoais sem a sua autorização (se isso aconteceu devem-se queixar a CNPD)   não tem nada a ver com as tabelas do Regime Convencionado da ADSE apesar de abusivamente utilizarem o nome da ADSE. São tabelas de preços dos grupos CUF e LUZ com preços muito mais elevados do que os preços da ADSE. Por ex. uma consulta nessas tabelas especiais custa ao beneficiário da ADSE, pelo menos, entre 35€ e 40€, enquanto pelo Regime convencionado da ADSE paga apenas 5€. E mesmo que depois seja reembolsado no Regime livre em 20,45€, acaba por ter de suportar 3 a  4 vezes mais do que pagaria pelo Regime Convencionado da ADSE. Em outros atos, por ex., nas cirurgias a diferença é enorme e incomportável para a maioria dos beneficiários .  

(2) Quando fizer qualquer marcação (consulta, cirurgia, etc.) num prestador nunca se esqueça de dizer que quer fazer no âmbito do Regime convencionado da ADSE. Pergunte mesmo se é no Regime convencionado e confirme, pois vários prestadores, em particular a CUF (esteja muito atento neste prestador pois é dele que temos recebido mais queixas), se não disser nada a marcação é muitas vezes feita naquelas tabelas, e poderá ter a surpresa, quando for pagar, de ter de pagar uma fatura enorme. Mesmo que o prestador lhe diga que o médico saiu da convenção (neste caso não se esqueça de perguntar se  não existe outro médico da mesma especialidade na convenção) , ou que saíram todos os médicos daquela especialidade da convenção, ou que a ADSE eliminou esse ato da convenção, ou que a ADSE acabou com a convenção,  NÃO ACREDITE, porque muitas vezes isso não é verdade. Entre em contacto com a ADSE através:  ADSE - direta ( ( https://www.adse.pt/ar/ ) e exponha o seu caso. No caso de concluir que foi enganado comunique a ADSE da mesma forma e queixe-se também a Entidade Reguladora da Saúde (ERS) no link:  https://www.ers.pt/pt/utentes/reclamacoes/   

(3) Uma outra opção, é procurar outro prestador, porque a ADSE tem convenções com mais de 1300 prestadores e se procurar vai sempre encontrar outro médico igual ou mesmo melhor no seu concelho.  Para fazer  a pesquisa de prestadores por concelho e por tipo de ato aceda ao portal da ADSE através do link:  www.adse.pt/pesqmed/  . 

Eugénio Rosa – membro do conselho diretivo da ADSE eleito pelos representantes dos beneficiários,  O meu e-mail que poderá utilizar para me informar : Eugenio.Rosa@adse.pt 

Lisboa, 9-10-2021

Outros estudos recentes
Registe-se para receber os estudos gratuitamente por e-mail sempre que sejam publicados.
UM PEDIDO A TODOS OS LEITORES
De acordo com a nova lei de protecção de dados que entrou em vigor no final de Maio de 2018, só se poderá utilizar o endereço de e-mail, neste caso para enviar os meus estudos, se obtiver da parte do proprietário do endereço electrónico o seu consentimento expresso. Por isso, peço a todos os leitores que estejam interessados em receber gratuitamente os meus estudos que se se registem neste site dando o seu consentimento para utilizar o seu e-mail se tiverem interessados em receber semanalmente os estudos que faço. Se já está a receber os estudos indique esse facto na sua mensagem. Informo também que o seu e-mail será retirado/apagado logo que o desejar no futuro, bastando que o comunique.
INFORMAÇÃO
Este site foi atacado já por duas vezes pois divulga estudos feitos com objetividade analisando os problemas económicos e sociais do nosso país utilizando dados oficiais. Com o objetivo de garantir a sua proteção tivemos de o instalar de outra forma e em condições diferentes. No entanto ele vai, gradualmente, tomar a forma que tinha com todos os estudos que estavam disponíveis, porque não é possivel fazer imediatamente.
PEDIMOS A VOSSA AJUDA PARA QUE ESTES ESTUDOS CHEGUEM A MAIS LEITORES E TAMBÉM PARA COMBATER A TENTATIVA DE NOS SILENCIAR. Há muita gente que não gosta dos nossos estudos. Mas vamos resistir e continuar.
Obrigado pela ajuda que puderem dar neste combate pela verdade e pelos que menos têm, divulgando estes estudos.

APRESENTAÇÃO SINTÉTICA E OBJECTIVOS DESTE "SITE"

A maior parte da informação divulgada sobre a economia e a sociedade portuguesa nos media é dominada pelo pensamento neoliberal, porque é este que tem acesso privilegiado aos media. Este domínio é tão grande que atinge os próprios meios académicos podendo-se falar, com propriedade, de um pensamento económico único dominante. Quem esteja familiarizado com a ciência económica, sabe bem que a economia não está acima dos interesses de classe que se confrontam na sociedade, e o neoliberalismo defende os interesses do poder económico dominante nas sociedades capitalistas actuais.

Nos estudos disponíveis neste “site” procura-se analisar os problemas económicos e sociais numa perspectiva diferente, que é a dos interesses dos trabalhadores. No entanto, não existe qualquer pretensão de substituir um pensamento único por outro, mas apenas o propósito de fornecer ao leitor uma outra forma de analisar os problemas económicos e sociais, para que ele, confrontando-a com a do pensamento neoliberal dominante nos media,  forme a sua própria opinião, que é o mais importante.

A verdade só poderá surgir do confronto democrático de ideias e nunca da imposição de um pensamento único como se pretende actualmente.
Para facilitar a pesquisa do leitor agrupamos os estudos em duas grandes Áreas, e dentro destas por Temas, e dentro dos Temas estão os estudos por datas  (data da sua elaboração), pois os estudos são datados (se é associado do Montepio no fim dos Temas encontra ainda informações atualizadas sobre a situação no Montepio).

Encontre mais publicações disponíveis nas seguintes áreas